sábado, 21 de junho de 2008

Fim da fase

Analogia boa é comparar a vida a um videogame. Acaba uma fase e começa outra cheia de dificuldades maiores mas muito mais divertida.
Hoje nasceu o Theo, primeiro filho do meu parceiraço amigo de fé, irmão, camarada e sua esposa Ludmila. Eu acompanhei de perto a tensão de papais de primeira viagem e suas viagens emocionais na espera.
Coincidentemente eu passei os ultimos 2 meses meio estranho, até bloguei por aqui sobre isso, e coincidentemente novamente saí da sensação estranha junto com o nascimento do Theozinho. Não sai por mágica, eu decretei que a fase chata se foi porque é assim que to me sentindo, como se as coisas estivessem assentado e assentaram.
Vocês não sabem o que eu estive sentindo?
Sensação de impotência pessoal diante da trajetória profissional, principalmente da parte artística.
Blogarei mais sobre as confusões mentais daqui uns dias, por enquanto segue uma musica relativamente nova, letra do zé edu que ele jura que ele nem lembrou da gravidez ao fazer rsrsrsrs
Relevem o trombone de boca, era só uma marcação pra eu colocar o riff adequado quando passasse a ressaca artistica.
PRocura aí vai, chama-se "tanto na espera"


Foi tanto tempo na espera
Que eu já não via a hora
E agora que chegou
É minha hora, vambora

Foi tanto tempo sonhando
Tanto tempo de ansiedade
Para ver o grande dia
Nunca é longe, nunca é tarde

Agora você vai ver
Eu quase não dormi
Mas sempre foi assim
Quando começar

Eu quero quebrar tudo
Agora você vai ver
Chegou a minha vez

Liga o som, liga a luz
Porque hoje eu sou
O cara mais feliz do mundo

2 comentários:

Ana Paula disse...

É também posso falar que acompanhei de perto a gravidez do casal!! Ah, que bom que decretastes fim da estranheza, sempre bom começar de novo, mesmo que seja em um caminho bem conhecido! Agora o Zé jurar que fez essa sem lembrar da gravidez é piada né? Bjkas

Giu Missel disse...

Sensacional...
levadinha de Lenine?
vambora.

ó...
queria fazer uma contigo ;P. sei lá. Deu vontade.
Quem sabe né.
rsrs

bjo.